Por que a produção de alimentos depende tanto de agrotóxicos?

Por que a produção de alimentos depende tanto de agrotóxicos?

  • Por que a produção de alimentos depende tanto de agrotóxicos?


Nas grandes culturas, os agrotóxicos são aplicados por pulverizadores, máquinas que possuem regulagem própria para evitar uso em excesso dos pesticidas — Foto: Érico Andrade/G1Nas grandes culturas, os agrotóxicos são aplicados por pulverizadores, máquinas que possuem regulagem própria para evitar uso em excesso dos pesticidas — Foto: Érico Andrade/G1

Nas grandes culturas, os agrotóxicos são aplicados por pulverizadores, máquinas que possuem regulagem própria para evitar uso em excesso dos pesticidas — Foto: Érico Andrade/G1

O jeito de se produzir alimentos em larga escala e quase o ano todo fez com que agricultores ficassem dependentes do uso de agrotóxicos, dizem agrônomos.

Por outro lado, quando mais se aplica o veneno, mais a praga cria resistência. E ele vai perdendo sua eficiência.

"Apesar de toda a parafernália química, a indústria de agrotóxicos jamais conseguiu eliminar uma espécie daninha e diminuir as perdas causadas por elas, perdas essas que continuam as mesmas de 40 anos atrás", afirma o pesquisador brasileiro e PhD em agronomia Adilson Paschoal, criador do termo "agrotóxico".

Cada vez mais o ingrediente-base do agrotóxico (princípio ativo) acaba tendo que ser misturado a outros para funcionar melhor. Hoje, 329 são registrados no Brasil. Na União Europeia, são 466 e, nos Estados Unidos, aproximadamente 500 (veja os mais vendidos e onde são usados).

Para ir além das polêmicas, o G1 pediu a agrônomos que explicassem, tecnicamente, como se dá essa dependência dos agrotóxicos, para que servem e que soluções podem existir para reduzir o uso.

O que é um agrotóxico?

palavra agrotóxico é usada particularmente no Brasil — no exterior, o termo mais comum é pesticida.

São produtos químicos usados na produção agrícola, manutenção de pastagens e proteção de florestas plantadas. Pela legislação brasileira, produtos biológicos e orgânicos com o mesmo fim também são considerados agrotóxicos.

A base é chamada de princípio ativo: ele sozinho ou misturado a outros vai dar origem aos produtos que serão vendidos para os agricultores. Eles podem ser líquidos ou sólidos (em pó ou granulados).

Para que serve?

Essas substâncias mudam a composição da flora e da fauna, para acabar com as ervas que "competem" com a plantação principal, além de fungos e insetos que podem danificar essa lavoura.

Por que ele é polêmico?

Justamente pela característica de alterar a flora e fauna. Para ambientalistas, o produto químico muda a naturalidade do ecossistema de onde ele é aplicado, o que cria uma nova população de insetos, bactérias e ervas daninhas que não são necessariamente próprias da região.

Se mal aplicado, o agrotóxico também pode atingir lavouras vizinhas, criando problemas para produções orgânicas ou, até mesmo, matar plantações e florestas sensíveis ao produto químico. Isso sem contar os riscos que os trabalhadores rurais correm se o produto não for usado da maneira correta.

Além disso, o veneno mal utilizado pode ser responsável pela morte de abelhas, insetos importantíssimos para garantir a polinização das plantas, um processo fundamental no ciclo da agricultura.

Pelo menos cinco milhões de abelhas foram encontradas mortas em São José das Missões (RS) em janeiro deste ano — Foto: Batalhão Ambiental da Brigada Militar/DivulgaçãoPelo menos cinco milhões de abelhas foram encontradas mortas em São José das Missões (RS) em janeiro deste ano — Foto: Batalhão Ambiental da Brigada Militar/Divulgação

Pelo menos cinco milhões de abelhas foram encontradas mortas em São José das Missões (RS) em janeiro deste ano — Foto: Batalhão Ambiental da Brigada Militar/Divulgação

Outro ponto é que o agrotóxico pode deixar resíduos nos alimentos e no lençol freático, atingindo água de rios.

No caso da comida, em alguns casos, o pesticida fica apenas na casca do produto, podendo ser eliminado em uma lavagem. Em outras situações, ele age dentro do organismo da planta e de seus frutos, e não é possível eliminar 100% desse residual.

No Brasil, existe uma legislação que define limites seguros para a ingestão desses resíduos. Mas quem é contra o uso dos pesticidas afirma que não existe nenhuma prova científica que garanta que consumir resíduos de agrotóxicos em níveis considerados seguros pela lei vai evitar efeitos colaterais.

Como age o agrotóxico?

Para cada "alvo", existe um tipo:

  • Herbicida: age contra ervas daninhas;
  • Fungicida: contra fungos que causam doenças;
  • Inseticida: contra insetos

Inseticidas e fungicidas costumam ser usados antes do plantio, no tratamento das sementes, assim como os herbicidas, mas também podem atuar depois da colheita, para evitar a proliferação de doenças durante o armazenamento dos produtos. Veja como cada tipo age:

Herbicida

Impede a fotossíntese das ervas daninhas para que elas morram e não roubem luz do sol e nutrientes da plantação principal.

O tipo mais usado entra no organismo da erva e a mata por completo (das folhas à raiz). Existem herbicidas que agem apenas nas folhas; com isso, as raízes ficam sem utilidade e morrem.