Fontes de água do Novo Vale do Anhangabaú continuam desligadas faltando 10 dias para acabar o verão


Verão seco em SP: fontes de água do Novo Vale do Anhangabaú não funcionam desde a inauguração do espaço, em 25 de julho de 2021, dizem comerciantes. — Foto: Marinha Pinhoni/g1

Verão seco em SP: fontes de água do Novo Vale do Anhangabaú não funcionam desde a inauguração do espaço, em 25 de julho de 2021, dizem comerciantes. — Foto: Marinha Pinhoni/g1

Faltando dez dias para o fim do verão, as fontes de água do Vale do Anhangabaú, no Centro de São Paulo, ainda não foram ligadas.

O verão termina oficialmente em 20 de março, e a cidade está há 19 dias com temperaturas acima dos 30ºC. Vários comerciantes do entorno e frequentadores afirmaram ao g1 que nunca viram as fontes em pleno funcionamento.

De acordo com eles, os equipamentos foram ligados apenas por curtos períodos durante os testes realizados quando o local ainda estava fechado ao público, e também no evento de inauguração do local, em 25 de julho de 2021.

Em nota, o consórcio Viva o Vale, que administra o espaço, confirmou que as fontes não foram ligadas e informou que estudo realizado por consultores técnicos "identificou a necessidade de reformas na estrutura do equipamento" (leia a íntegra abaixo).

"Só vi funcionar em um dia que testou. Essa água que fica parada em poças é toda de chuva, não tem nada de fonte. E nesses dias fica muito quente por causa desse asfalto todo", disse Flávio Teixeira, que tem uma loja de roupas há mais de 20 anos bem em frente ao Vale.

Proposta das fontes de água do Anhangabaú no projeto do escritório Biselli Katchborian Arquitetos Associados, que idealizou a reforma do espaço. — Foto: Divulgação/Biselli Katchborian Arquitetos Associados

Proposta das fontes de água do Anhangabaú no projeto do escritório Biselli Katchborian Arquitetos Associados, que idealizou a reforma do espaço. — Foto: Divulgação/Biselli Katchborian Arquitetos Associados

Segundo Teixeira, o faturamento da loja ainda não melhorou após a intensa queda que ocorreu durante o período da reforma e, posteriormente, com as restrições impostas pela pandemia.

O dono de uma lanchonete, que preferiu não se identificar, considera que a reforma trouxe mais segurança e movimento de pessoas para região, mas diz sentir falta de mais árvores no projeto.

"A reforma foi positiva porque realmente virou uma praça. As famílias vêm aqui nos finais de semana, o que não acontecia antes. Com o movimento, ficou mais difícil ter assaltos. Mas seria melhor se tivesse mais árvores. No horário perto das 14h é impossível. Você cozinha se ficar ali", afirmou.

No projeto inicial do escritório Biselli Katchborian Arquitetos Associados, que idealizou a reforma do Anhangabaú, a fonte com 852 jatos d'água seria interativa, para diversão de crianças e adultos nos dias quentes, a exemplo do que acontece em muitos países da Europa (veja foto acima).

Proposta das fontes de água do Anhangabaú no projeto do escritório Biselli Katchborian Arquitetos Associados, que idealizou a reforma do espaço. — Foto: Divulgação/Biselli Katchborian Arquitetos Associados

Leia também:

O atendente de telemarketing Thiago Fiel considera que a água da fonte ajudaria a aliviar o calor nos dias de verão. Ele passa pelo Anhangabaú quase diariamente na saída do trabalho, e encontra os amigos no local aos finais de semana.

"Depois que tiraram a grade, eu nunca vi essa fonte funcionar. Nos dias de calor faria total diferença, deixaria mais fresco. Acaba sendo melhor só à noite mesmo", afirmou.

Quiosques do Vale do Anhangabaú, no Centro de SP, após reabertura do espaço para o público. — Foto: Marina Pinhoni/g1

Quiosques do Vale do Anhangabaú, no Centro de SP, após reabertura do espaço para o público. — Foto: Marina Pinhoni/g1

O artista Felipe Querino, que é de Fortaleza, no Ceará, mas vem com frequência a São Paulo, não sabia da existência das fontes até o questionamento da reportagem.

"Eu nem sabia que tinha fonte ali. Estou hospedado aqui perto há uma semana, mas nunca vi funcionar."

Ele afirma que já frequentava o Anhangabaú antes da reforma, e considerou que o local está sendo mais ocupado pelas pessoas agora.

"É um ponto de encontro, tem os skatistas, o pessoal que fica nos bancos. Uma ocupação do espaço público."

Projeto original das fontes do Vale do Anhangabaú, no Centro de São Paulo. — Foto: Reprodução

Projeto original das fontes do Vale do Anhangabaú, no Centro de São Paulo. — Foto: Reprodução

Fontes entupidas

Reportagem do SP1, da TV Globo, em setembro do ano passado, já tinha apontado que parte dos bicos d’água da fonte estavam entupidos e, por isso, a prometida dança das águas no espaço – que era promessa do projeto original de reforma - não estava sendo exibida ao público.